Biografia

Z13A0805Reeleito para o seu terceiro mandato consecutivo, em 2012, com 4.435 votos, o vereador Gervino Cláudio Gonçalves, o Cláudio Sorocaba I (PR), é o presidente da Câmara Municipal de Sorocaba, eleito para o exercício de 2014 e reeleito para o exercício de 2015. Antes de presidir o Legislativo sorocabano, já havia sido vice-presidente da Casa por três vezes e, ainda, 3º vice-presidente, além de presidente interino em abril de 2010. Também integrou diversas comissões, entre elas, a Comissão de Justiça da Casa.

Como presidente da Câmara Municipal, comandou a discussão, votação e aprovação de projetos essenciais para a cidade, entre eles, os projetos de lei do Plano Diretor e do Plano Municipal de Educação, que mobilizaram a sociedade sorocabana. Na condução dos trabalhos legislativos, pauta-se pelo respeito ao Regimento da Casa, o diálogo com os demais vereadores e a abertura à participação popular, dando total apoio à realização de audiências públicas e a outros meios de interação com a sociedade.

Defesa da cidadania – Fiel a seu compromisso com a cidadania, Cláudio Sorocaba I está comandando a implantação da TV Legislativa digital aberta e gratuita em Sorocaba, que irá transmitir, pelo Canal 61, os trabalhos da Câmara Municipal, garantindo à população de baixa renda, que não pode pagar TV por assinatura, o acesso aos trabalhos dos vereadores e às sessões do Congresso Nacional e da Assembleia Legislativa do Estado. A TV também terá uma programação cultural e educativa e, futuramente, será implantada uma Rádio FM legislativa.

Ainda como presidente da Casa, Cláudio Sorocaba I se orgulha de ter implantado, em parceria com a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e o CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), o programa de contratação, pela Câmara, de aprendizes com deficiência intelectual, inclusive síndrome de Down. Para o vereador, o poder público tem de dar o exemplo de inclusão social das pessoas com deficiência.

Em prol dos carentes – Cláudio Sorocaba I é autor de várias leis que beneficiam a população carente, entre elas a Lei 7.506/2005, que prioriza os filhos de pessoas com deficiência nas creches e escolas públicas, e a Lei 7.533/2005, que obriga a Prefeitura a fornecer medicamentos nas unidades de saúde que funcionam 24 horas. Também é de sua autoria a Lei 7.998/2006, que obriga as empresas funerárias a fornecer caixão mortuário, transporte gratuito, velório e uma coroa de flores às pessoas reconhecidamente pobres e sem recursos para pagar esses custos. Além disso, o vereador já apresentou centenas de indicações, requerimentos e ofícios solicitando melhorias em toda a cidade.

A preocupação com os mais carentes remonta aos tempos de Cláudio Sorocaba I como líder comunitário. Em 1998, foi eleito presidente da Associação de Moradores do Bairro Júlio de Mesquita Filho, lutando pela regularização das moradias e melhorias no bairro, como escola, creches, posto de saúde e asfalto. Em 2000, após se destacar como líder comunitário, concorreu a uma vaga na Câmara Municipal, obtendo expressiva votação e ficando como suplente. Em 2004 foi eleito vereador pela primeira vez, reelegendo-se em 2008 e 2012.

Origem humilde – Cláudio do Sorocaba I nasceu em Ivaiporã, no interior do Paraná, em 14 de julho de 1963, numa família de agricultores, que trabalhava na roça, em meio a grandes dificuldades. Em 1980, com a morte do pai, João Gonçalves Filho, tornou-se arrimo de família com apenas 17 anos, trabalhando pelo sustento da mãe, Etelvina Vieira de Miranda, e das duas irmãs mais novas. Como uma de suas irmãs já morava em Sorocaba, veio com a família para o município em 1984, em busca de melhores condições de vida.

Seu primeiro emprego em Sorocaba foi como ajudante geral numa empresa que fabricava lajotas, trabalho que, na época, não era mecanizado e exigia grande esforço braçal. Trabalhou também numa concessionária da Eletropaulo e, depois, aprendeu a profissão de eletricista, atuando nessa área até 1988, quando passou a trabalhar como vendedor. Posteriormente, tornou-se comerciante no Bairro Júlio de Mesquita Filho, onde ainda mora. Sua mãe, Etelvina, faleceu em 2014 aos 97 anos. “É no seu exemplo de vida, de dignidade, trabalhando na roça para criar os filhos, que eu me espelho em minha vida pública”, afirma o presidente da Câmara.